Descolonização Libertária – Caminhando para o Governo da Água na Colômbia

Xixi. 27 de julho

 

A revitalização da humanidade a partir do princípio biocêntrico vinga o valor primordial da vida, descolonizando o pensamento, as acções e os territórios mostra-nos uma via clara, ética e autogovernada para a continuidade da humanidade e da mãe terra.

Na Colômbia, várias comunidades estão a trilhar o caminho do governo da Água, como princípio governante de auto-governo e de um governo maior. A lei de origem que sobrevive nos territórios, que sobrevive nas nossas nações nativas, que sobrevive na biodiversidade natural e cultural e que apesar da contínua invasão colonizadora que não pára há 500 anos e que continua na projecção global de economias extrativistas, o capitalismo sem limites e o patriarcalismo embutido no poder, reforçam as vozes dos territórios e dos nossos povos que continuam a cuidar e a defender a vida como herança emancipadora e o prolongamento do equilíbrio da vida.

A crise sistémica mostra-nos todos os dias uma paragem no caminho, se continuarmos a destruir a nossa mãe terra, o nosso lar comum, estamos a caminhar para uma extinção maciça da vida humana, bem como de todos os seres do reino animal, vegetal e mineral com o qual vivemos. Mas se todos os dias escolhemos caminhar com o princípio maior de cuidar da vida, cuidar da água, cuidar do solo, tomamos decisões para a boa vida como um eixo político de governação colectiva alinhado com a natureza.

A discriminação contra as comunidades indígenas, afro-colombianas e camponesas tem as suas raízes nos tempos de conquista e colonização, grupos sociais considerados parte de um nível social mais baixo do que os brancos, foram subjugados a papéis de escravos dos quais não tinham qualquer possibilidade de participação. A maior realização destes movimentos foi em 1991, quando a nova constituição política estabeleceu a Colômbia como uma nação multi-étnica e multicultural, e actualmente com a eleição deste novo governo do Pacto Histórico, o que traz uma forte proposta de mudança para uma vontade política baseada na justiça social e climática, coesão social e natureza, onde a organização do território em torno da água e a diversificação da produção para fazer face às alterações climáticas é um eixo importante.

A descolonização é um movimento de emancipação que continua a existir com o maior propósito de cuidar da vida, dos nossos povos originais, raizales, camponeses e mestiços, da cidade e do campo, continuamos em comunidade fazendo da lei de origem um pessoal de auto-governo e do governo da água, um mandato para e pela vida.

Nesta conversa iremos partilhar experiências de diferentes cenários e territórios sobre descolonização e governação da água na Colômbia.

 

Dennise Dueñas – Kuku

Facilitador/a – representante Hub Transição Colômbia

Comunicador gráfico e artista interdisciplinar com experiência em facilitar redes de colaboração, liderança participativa e educação ambiental intercultural por meio das artes vivas. Frequentou cursos de Permacultura, Ecologia Profunda, Liderança Participativa, Sociocracia, Educação Evolutiva, Desenho de Assentamentos Sustentáveis, Formação de Transição e Vigilância do Património.

Ela participa a nível local no Conselho Consultivo das Mulheres e no Conselho Municipal de Cultura. Fundador da Casa Maíz, um espaço comunitário intercultural onde a sabedoria ancestral Mhysca e as alternativas pedagógicas e ambientais para a transição para estilos de vida conscientes são promovidas.

É membro regional do Cabildo Mayor Muisca Oriente, da Rede Colombiana de Ecovilas, CASA Colômbia e membro activo da CASA Latina – Conselho de Assentamentos Sustentáveis da América Latina e da equipa de base da Transição Colômbia.

 

Ati Quigua

Convidado

Líder indígena colombiano Iku, pesquisador, pacifista e ambientalista. Ela cresceu no Serra Nevada de Santa Marta onde foi treinada pelos Mamos na Sé ou no Sei, Kogui-Iku, o que significa viver em harmonia com os ciclos e processos vitais da natureza.
Administrador público, Mestre em Governo e Políticas Públicas. Ela está atualmente estudando para um
D. em Estudos Políticos na Universidad Externado de Colombia. Palestrante e Consultor.

Eleita conselheira de Bogotá D.C. em três períodos em que obteve múltiplas realizações, entre elas o Acordo 347/2008, que define as diretrizes para a política pública da água, que foi adotada pelo decreto 485 de 2011. Acordo 194/2010, que promove a integração regional rural através dos mercados dos agricultores
integração rural regional através de mercados camponeses e indígenas para a região central. Entre outras iniciativas.

Ela era a Comissária Indígena para a Paz na Colômbia. Promotor do respeito aos direitos humanos direitos e os direitos da natureza. Vencedor do Prêmio Internacional Daniele Po Award 2016, que tem uma tradição internacional de reconhecimento das mulheres e associações que trabalham em prol do meio ambiente e dos direitos humanos.

 

Didier Chimuskay

Convidado

Nativo Mysak, comunicador do processo territorial local e do Movimento das Autoridades Indígenas do Sudoeste.
Ex-secretário geral do Cabildo de Guambia, ex-vice-governador do Cabildo Misak em Bogotá, co-fundador da Associação de Mídia Indígena da Colômbia AMCIC, fundador da Universidade da Terra e Memória em Bogotá.

Atualmente, Produtor geral da quarta temporada da série de televisão indígena “Autonomías Territoriales” a ser transmitida em canais públicos de televisão.  Ativista na questão da Memória dos Povos, relacionada com a demolição de estátuas na Colômbia.  Responsável pela campanha “Dia Internacional da Memória dos Povos Indígenas do Mundo”.  Coordenador da “I Cúpula Continental de Comunicação Indígena de Abya Yala”.  Desde setembro de 2013, participo como nativo Misak, comunicador e jornalista, tornando visível a dignidade dos povos indígenas.

 

Hernando Gómez Serrano

Convidado

Psicólogo, especializado em saneamento e desenvolvimento ambiental, Defensor dos Direitos Humanos, realizou pesquisas sobre mega-projetos, particularmente mega-projetos de conexão inter-regional na América do Sul, tanto em nível de infraestrutura, estradas, ferrovias e rede fluvial. Professor universitário há várias décadas. Pesquisador e consultor internacional nas áreas de desenvolvimento econômico, social e sustentável.

 

Harrison Cuero Campaz

Convidado

Profissional em Ecologia, com especialização em Direito do Ambiente, Mestrado em Planeamento Territorial e Gestão Ambiental e Doutoramento em Sustentabilidade com ênfase em Planeamento Territorial em regiões biodiversas. Consultor internacional na capacitação das comunidades locais e na construção da Rede para a defesa dos direitos humanos. Membro do Processo das Comunidades Negras e Presidente do Colégio Nacional de Ecologistas.

 

Hernando Gómez Serrano

Convidado

Psicólogo, especializado em saneamento e desenvolvimento ambiental, Defensor dos Direitos Humanos, realizou pesquisas sobre mega-projetos, particularmente mega-projetos de conexão inter-regional na América do Sul, tanto em nível de infraestrutura, estradas, ferrovias e rede fluvial. Professor universitário há várias décadas. Pesquisador e consultor internacional nas áreas de desenvolvimento econômico, social e sustentável.

 

Todos estão convidados para a festa!
Convide seu vizinho, amigo e sua comunidade para continuarmos a reimaginar e construir a esta Nova Humanidade juntos.

Cada conversa será entre:

13h e 15h Colômbia e México
14h e 16h Chile
15h e 17h Brasil
18h e 20h UTC
19h e 21h Londres

 

Event Details

  • julho 27th, 2022
  • 1-3pm Colombia and México, 2-4pm Chile, 3-5pm Brasil, 6-8pm UTC, 7-9pm London
  • Book a place!